Mês: outubro 2016

Em Belém, pobres são barrados na festa de Zenaldo

[PONTO DE PAUTA] para o livre debate.

Na festa das elites, alegria dos pobres durou pouco.

Logo após o anúncio do resultado das eleições em Belém, dando vitória ao candidato Zenaldo Coutinho (PSDB), o primeiro tapa foi desferido no rosto do povo numa demonstração do que está por vir. Coordenadores de sua campanha, apoiados por forte esquema policial a serviço do candidato eleito, passaram a impedir o acesso de pessoas pobres e mal vestidos ao local escolhido para o “baile dos grã-finos”, a Av. Doca de Souza Franco, espaço tradicional de eventos políticos das elites locais. Quanto aos despossuídos, carregadores das bandeiras amarelas, cor símbolo da campanha do PSDB em Belém, que já se encontravam no local desde as primeiras horas do domingo, estes eram separados e organizados em grupos para serem retirados do evento e tomares os ônibus para suas casas nos bairros periféricos da cidade. Tudo bem organizado para evitar revolta e pânico.

A “operação…

Ver o post original 148 mais palavras

Governo Golpista consegue ludibriar a Opinião Pública?

Cidadania & Cultura

projecoes-ibre-fgv-para-pib-3-t-2016ibc-br-ago-2016ranking-de-ambiente-de-negocios-2016

avaliacao-do-governo

Os golpistas apostaram que o golpe iria reverter as expectativas. Acreditavam que, daí em frente, com eles usurpando o poder executivo, tudo seria diferente e sairia a mil maravilhas. Seu exército de “chapas-brancas” foi colocado na mídia para, supostamente, serem “formadores-de-opinião”. Fracasso total (confira acima a avaliação do governo golpista)!

A falsa “opinião especializada”, como “aprendiz de feiticeiro”, acreditou que a insistente repetição cotidiana nos jornalecos brasileiros das palavrinhas mágicas “confiança”, “credibilidade”, “seriedade”, “produtividade”, “eficiência”, “eficácia”, “disciplina”, “cenário otimista”, entre outras do jargão Yuppie, usado e abusado por jovens executivos neoliberais em escalada social, bastaria para reverter as expectativas pessimistas quanto ao futuro nacional. Porém, no mundo real das vendas e dos financiamentos, não se percebe nenhuma recuperação do crescimento. Promessa vazia ou propaganda enganosa de retomada sem a objetividade de indícios firmes de melhora no ritmo de vendas não enganam a subjetividade dos tomadores de decisões de investimentos

Ver o post original 2.088 mais palavras