Leonardo Boff: o projeto da Dilma é o melhor para o povo brasileiro

Leonardo Boff, teólogo, professor e autor de mais de 60 obras, um dos expoentes da Teologia da Libertação, esteve em Brasília na manhã de hoje (14) para participar do ato de apoio dos socioambientalistas à reeleição da presidenta Dilma Rousseff.

Em entrevista exclusiva ao Muda Mais, Boff falou sobre por que apoiar Dilma Rousseff, sobre as eleições de 2014, o pessimismo generalizado no mundo, a necessidade de fazer uma reforma política e de investir em ações voltadas para a cultura no Brasil. Confira:

12 anos de governo democrático e popular no Brasil

“Até Lula, as classes dominantes ocupavam o Estado. Com Lula, são as classes populares, que se organizaram e chegaram no poder central e transformaram o destino do Estado. Em vez de um Estado privatista, elitista,neoliberal, é um Estado republicano, que coloca a coisa pública no centro. Isso é colocar as demandas do povo no centro”.

Marina Silva

“Eu vejo uma campanha ideologicamente pobre, porque não se discute tanto que Brasil queremos, é uma disputa pelo poder. E isso é muito claro em Marina, porque ela é obcecada por chegar ao poder (…) Eu distinguo a pessoa Marina – que é ética, íntegra, cheia de boa vontade – da Marina atora política. Como atora política, eu acho que está construindo no canteiro dos poderosos, que sempre oprimiram o povo, que são os banqueiros, que é o sistema financeiro, até os militares apoiam ela”.

Aécio Neves

“Eu diria que é quase carta fora do baralho. Não teve ressonância na população, porque não tem raízes populares”.

Dilma Rousseff

“O PT e Dilma têm uma trajetória. O PT tem uma vantagem de apresentar fatos, apresentar coisas que foram feitas e foram boas para 36 milhões de brasileiros. Então eu acho que Dilma tem todas as chances de ganhar (…) Acho que o projeto da Dilma é o melhor para o povo brasileiro”.

Pessimismo

“Eu vejo um pessimismo em grande parte induzido politicamente pela grande mídia, quando o povo brasileiro é um povo de esperança, de alegria, que não se entrega, que luta (…) O que os jovens disseram no ano passado tem que ser ouvido. Eles disseram que estamos cansados desse tipo de democracia, que não representa. Uma democracia de negócios e negociatas, que favorece a corrupção. Queremos uma democracia participativa, em que os movimentos sociais possam ajudar a pensar o Brasil”.

Reforma política

“Se não houver uma reforma política, continuará a lógica da corrupção (…) Nós temos que reconstruir a democracia no Brasil. E eu acho que Dilma tem todas as energias, já que foi a primeira que se antecipou respondendo às ruas, que é preciso fazer uma consulta popular para ver que Brasil queremos e que novo tipo de organização política é necessário para essa consciência nova que se elaborou na nação brasileira”.

Prioridades para o 2º mandato de Dilma

Reforma política, reforma agrária, defesa dos territórios indígenas e mais incentivo à cultura. A reforma agrária está na Constituição, mas nunca foi feita, porque 2/3 dos parlamentares vêm do latifúndio ou são coligados com o latifúndio e com o grande agronegócio. Segundo, acho que é importante a defesa dos territórios indígenas. Em terceiro, mais centralidade à cultura. Muitos dizem que a cultura não mata a fome, mas o ser humano não tem só fome de pão (…) E para suscitar aquilo que falta para os brasileiros, a capacidade de pensar, de continuamente criar. E é por aí que encontramos caminhos novos para o nosso país”.

Veja a entrevista a íntegra no nosso vídeo e siga @LeonardoBoff no Twitter(link is external).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s